Lesões, Investimentos e Receita$ nas categorias de base do Futebol Brasileiro
16 de outubro de 2018
Pirâmide de prevenção de lesões musculoesqueléticas (Coles, 2018)
30 de outubro de 2018

A Inteligência Artificial (IA) têm atraído a atenção da indústria da informação e da sociedade como um todo, devido à grande quantidade de dados e à iminente necessidade de transformar esses dados em informações e conhecimentos úteis. No entanto, o uso efetivo de dados em algumas áreas ainda está em desenvolvimento, como é o caso do esporte, mas esta área tem apresentado um rápido crescimento. Como na maioria das outras áreas da sociedade, quantidades crescentes de dados estão sendo reunidas em todos os tipos de esportes, e a análise automatizada de dados tornou-se um campo importante e com necessidade de rápido desenvolvimento.

As instituições de pesquisa e esportivas de destaque no nível mundial já estão envolvidas em estudos que aplicam a Inteligência Artificial (IA) para predição da performance esportiva ou risco de lesão em atletas. Exemplo recente temos o FC Barcelona, que participou de um trabalho que analisou os dados de carga de treinamento obtidos por GPS para prevenção de lesão em jogadores de futebol (1).

E no Brasil, como estamos? Uma busca em 3 das principais bases de dados (PubMed, Scopus e Web of Science) sobre a aplicação de IA nos esportes coletivos relativos a performance ou lesão resultaram em 3089 estudos neste área. No entanto, após aplicados alguns critérios para seleção dos estudos, o Brasil não aparece na lista final de países com trabalhos sobre o tema. Fato que aumenta a precaução diante da fala do Presidente da UEFA, garantindo que o domínio do futebol europeu vai aumentar (2).

Situação está que sugere um momento de reflexão para os Profissionais do Esporte, Dirigentes, Jornalistas que trabalham no futebol Brasileiro visando somar esforços para reverter essa situação. Pois a aplicação de abordagens estatísticas contemporâneas da IA abre uma perspectiva interessante para a construção de modelos de predição de desempenho e risco de lesão que sejam precisos e interpretáveis, ajudando Técnicos, Preparadores Físicos, Fisiologistas, Biomecânicos, Analistas de Desempenho, Fisioterapeutas, Psicólogos e Médicos no processo de tomada de decisão (3, 4).

Essa onda já chegou, resta saber se vamos conseguir surfar nela ou não, e você como está se preparando para potencializar o seu trabalho com a IA?

 

Referencias:

  1. Rossi A, Pappalardo L, Cintia P, Iaia FM, Fernàndez J, Medina D. Effective injury forecasting in soccer with GPS training data and machine learning. PLoS One. 2018;13(7):e0201264
  2. Chade J. Estadão. Publicado em 13/07/2018 às 6h25: https://esportes.estadao.com.br/noticias/futebol,presidente-da-uefa-avisa-o-dominio-europeu-vai-aumentar-no-futebol,70002400829
  3. López-Valenciano A, Ayala F, Puerta JM, et al. A preventive model for muscle injuries: a novel approach based on learning algorithms. Medicine and Science in Sports and Exercise 2018;50(5):915-27
  4. Novatchkov H, Baca A. Artificial intelligence in sports on the example of weight training. J Sports Sci Med 2013;12(1):27-37

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.